9 de dezembro de 2007

Devolva minha fantasia

Fui comer pizza com uns amigos, numa pizzaria próximo à ponte metálica em Fortaleza. Há muitos pedintes e vendedores ambulantes.

Alguns tentam ser gentis, outros se mostram como coitados, outros são muito inconvenientes, como os que, na hora da mordida na pizza, colocam o produto na mesa ou lhe cutucam pedindo um pedaço. Na minha opiniao não é correto dar esse tipo de ajuda, por vários motivos que depois eu digo. Apesar de tudo, cedo um sorriso, desejo boa noite e boa sorte a todos, mas não dou nada.

Outros já são bastante criativos, como um cara vestido de palhaço que chegou com um pandeiro na mão e uma voz parecida com a do Tiririca, chamando uma amiga de Vera Fischer:

- Oi gente... vocês são tão 'lindo', querem ver meus produtos?

- Não, obrigado. Respondi.

- Mas olha, é uns bichinhos que eu mesmo faço pra ajudar as criancinhas carentes... lá de casa.

Nesse momento ele tira do saco um sapinho verde e diz que ao apertar sua barriga, ele começa a cantar uma música bem bonita. Então, fui apertar a barriga do sapinho pra ouvir a música, quando de repente:

- Vida... devolva minha fantasia... meu sonho de viver a vida... devolva meu aaaar...

Ao som do pandeiro com uma voz de Tiririca, o palhaço começou a cantar. ehehehe

Eu ri bastante e todos na mesa riram de mim, porque eu realmente esperava ouvir a música da barriga do sapinho.

Enquanto ele dava as considerações finais pra fechar o negócio, chegou uma senhora vendendo rosas pedindo atenção. Como o palhaço já tava lá ele disse:

- Ei velha feia, num tá vendo que eu já tou aqui não?

Ela resmungou e saiu, enquanto o palhaço dizia:

- Só porque é artista de cinema pensa que pode invadir o espaço dos outros...

- Como assim, artista de cinema? Perguntei.

- Aquele filme, a Noiva de Chuck? Era ela...

ehhehehe. Eu também ri.

No final nem comprei o sapinho mas fiquei muito feliz com a simpatia daquele palhaço. Nada me revigora mais que o bom humor das pessoas. Ele saiu dizendo:

- Tá bom, nem comprou né... mas tá certo, eu não brigo não viu?

Boa noite e muita, mas muita sorte pra ele.

9 comentários:

  1. Eu sempre vejo a galera vendendo alguma coisa aqui nos ônibus do Recife.

    Esses dias tinha dois repentistas..
    Muito engraçada a música deles.

    Geralmente não dou e nem compro nada, mas naquele dai tive vontade de dar..
    Só que não tinha um centavo furado no bolso.. =/

    ResponderExcluir
  2. é....
    mais eu amo a vida....
    so q ñ é legal ~]n ter nada pra postar....(:

    legal seu blog....
    té mais...
    bju^^

    ResponderExcluir
  3. Não..
    Sem generalizações!
    Não é pq meus pais são assim, que eu vou achar que todos outros também o são!

    Tenho consciência de que não..

    ^^

    ResponderExcluir
  4. hahaha
    Gosto quando coisas assim acontecem comigo. Me deixa tão feliz a simpatia que as pessoas passam. Esses dias aconteceu algo parecido comigo, com uma vendedora de rua, que acabei por comprar.

    Também gostei de seu blog!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Larissa (http://www.lindajuventude.blogspot.com11 de dezembro de 2007 07:12

    Esse é o nosso Brasil. :) :(

    ResponderExcluir
  6. Hehe, que menino mão-fechada!!!
    Se divertiu às custas do palhaço e nem comprou o sapinho...coisa feia...rs

    Tô de volta na área.

    Bisous!!!

    ResponderExcluir
  7. Bah... Se eu vejo alguém vendendo alguma coisa, ou pedindo, eu sempre ajudo. Não consigo dizer não. Esses dias eu tava num X com os meus pais, e chegou uma mulher pedindo esmola. Eu tinha cortado o meu sanduíche no meio e uma das metades tava lá esquecida, eu não ia comer, então dei á ela. Não via porque não dar.
    Tá certo que isso não vai tirá-los da situação em que estão, mas, também não vai me fazer falta. A minha parte eu penso estar fazendo.

    Quanto ao palhaço, achei muito criativo. Também esperaria ouvir a música do sapo. hehehe

    Beijo

    ResponderExcluir
  8. tá sumido! feliz 2008 pra vc! beijos!

    ResponderExcluir

Seu comentário me fará bem. :)